O cantinho da Cinderela

O cantinho encantado da bloggosfera.

segunda-feira, junho 22, 2020

Desistir do amor...


Desisto!
De quê?
Do amor!
É sempre a mesma coisa...!
Uma pessoa acredita que é desta...
faz castelos no ar...
deixa-se levar...
pensa que é importante para alguém...
e depois...
Pumba!
Mais uma cabeçada!
Apenas se iludiu...
Viu amor onde só havia interesse...
Não é amada como esperava ser...
Ou como pensou ser!
Não é assim tão importante...
é até descartável...
E custa!
Custa dar tudo de si...
e acabar por não receber nada!
Por isso...
se houver quem me ame,
que lute por mim...
e me demonstre que vale a pena
acreditar de novo!
E eu irei lutar e dar tudo...
tudo o que nunca dei a ninguém...
tudo o que nem a pessoa esperou receber!
Até lá... desisto!
Já estou cansada de acreditar
e acabar a sofrer.
O Amor não é um mar de rosas...
mas também não tem de ser
um mar de espinho!
E remar sozinha...
é muito cansativo.

Etiquetas: , ,

domingo, junho 21, 2020

Luta contra o sono...


Os olhos pesam-me...
mas eu não quero dormir.
Não quando sei
que os fantasmas não me vão largar...
Não quando sei
que não vou conseguir descansar.
Dormir tornou-se uma tortura...
Pesadelos atrás de pesadelos...
Acordar a toda a hora...
Sentir-me mais esgotada
do que quando me deitei.
Mas a luta está a tornar-se difícil...
e sei que terei de ceder...
e tentar que uma boa noite de sono...
não se torne em mais uma de pesadelos...

Etiquetas: , , ,

sábado, junho 20, 2020

Dor da alma...


Pergunta:
"- Quantos tipos de dor existem?"
Reposta:
"- Três. Dor física, dor mental e dor da alma."
Pergunta:
"- Qual a mais dolorosa?"
Resposta:
"- A dor da alma. Porque a física trata-te... a mental alivia-se... mas a da alma... essa destrói-nos por dentro... e acompanha-nos por todas as vidas que passemos... até ao dia em que a nossa alma encontra, finalmente, a paz que tanto deseja."

Etiquetas: , ,

quarta-feira, junho 10, 2020

Gritar...


Hoje apetece-me gritar.
Não sei explicar porquê...
mas apetece-me gritar bem alto!
É como se sentisse um aperto no peito
que só passa se eu gritar a plenos pulmões!
Mas não o consigo fazer...
Tenho um nó na garganta
que mal deixa o ar sair...
quanto mais a voz...
Um nó que me sufoca mais
a cada segundo que passa.
Um grito...
Só precisava de um grito...
para trazer paz à minha alma...
sossego à minha mente...
e descanso ao meu corpo...

Etiquetas: , ,

quinta-feira, maio 07, 2020

Prometes-me...?


Esta noite sonhei contigo...
Estávamos a ter uma discussão feia...
com muitos gritos...
e palavras horriveis...
Acordei tão angustiada...!
Promete-me que não o voltamos a fazer...
Prometes?

Etiquetas: , , ,

quarta-feira, abril 15, 2020

Amanhã será melhor...


Hoje não estou bem.
Se estivesse sozinha em casa
sei que iria adormecer
de tanto chorar.
Mas não estou sozinha...
e nem sequer na minha casa.
Por isso vou engolir o choro...
limpar a lágrima rebelde
que achou que era para cair...
e vou dormir.
Na esperança que os sonhos me alegrem...
e que o amanhã
traga um dia melhor.
Boa noite...
Bons sonhos.

Etiquetas: , , , ,

Um pouco de si...


Por onde passava,
ela tentava deixar um pouco de amor...
um pouco de si...
na esperança de um dia
ter o retorno dessas dádivas.
Um pouco aqui...
um pouco ali...
A cada dia que passava,
sentia o seu amor a diminuir.
Mas não deixava de dar.
Mais um pedaço aqui...
mais um pedaço ali...
e não conseguia perceber
porque estava assim.
Então parou.
Olhou em volta...
e ali ficou a pensar.
Porque estaria o seu amor a definhar?
Se sempre lhe disseram
que quem dava amor, recebia amor?
E então percebeu.
O problema não era ela.
Era de quem recebia o amor dela
e não retribuía.
Como poderia o amor dela crescer
se ninguém o alimentava?
Foi então que desistiu de dar...
Foi então que desistiu de Amar.

Etiquetas: , , ,

domingo, abril 05, 2020

Invisível...


Ela era capaz
de fazer quase tudo por ele...
Afastar-se dos amigos...
Não ligar à família...
Não dormir
à espera de uma mensagem dele...
Esquecer-se de ter tempo para si
E dedicar esse tempo a ele...
Ela era capaz de quase tudo.
Mas por sentir que,
para ele,
o quase tudo
pouco significava...
ela deixou de ser capaz de quase tudo
para não ser capaz de quase nada.

Etiquetas: , , ,